AnálisesPS Vita

Drive Girls

Análise

NOME: Drive Girls
FABRICANTE: Tamsoft
PLATAFORMA: psvita
GENERO: Ação
DISTRIBUIDORA: Aksys Games / Rising Star Games


LANÇAMENTOS
26/05/2017 26/05/2017 26/01/2017


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução Máxima: 1080p

Nº de Jogadores: 1-4

Troféus (com Platina)

Espaço necessário: 578 MB

Disponível na PlayStation Store

Legendas em PT-BR: Não

Dublagem em PT-BR: Não


A Tamsoft é a desenvolvedora responsável pelas séries Senran Kagura e Oneechanbara, além de terem desenvolvido os dois spin-offs de ação da série Neptunia: Neptunia U e MegaTagmension Blanc + Neptunia. Todos esses possuem uma jogabilidade rápida, divertida e acessível, mas com diferentes níveis de complexidade, sendo que os Neptunia são os mais simples dentro desse grupo. Utilizando a base dos jogos Neptunia, a Tamsoft criou Drive Girls, no entanto, a falta de polimento acaba por prejudicar bastante o título.

As protagonistas em Drive Girls são mulheres que podem se transformar em carros e podem utilizar ambas as formas em combate. Não me pergunte como ou por que elas se transformam em carros, mas efetivamente é um jogo com conceito similar a Transformers, especialmente em seu último jogo, Transformers Devastation. As protagonistas são encarregadas de lidar com a ameaça dos “insetos”, uma forma desconhecida de vida que tomou conta de uma ilha e forçou seus residentes a evacuarem.

A história em si não é interessante e serve apenas como pano de fundo para as missões que usualmente são divididas em combate ou corrida. A mecânica chave do combate está na transmissão, em que a “marcha” garante bônus no ataque e na defesa. Em um primeiro contato, o combate em Drive Girls pode parecer simples, com ataques fracos, fortes, esquivas e outros elementos comuns ao gênero. Entretanto, existe uma complexidade mecânica entre os comandos e os sistemas que o tornariam mais interessante se os comandos fossem mais responsivos.

Existem dois grandes defeitos no combate de Drive Girls: posicionamento dos comandos e a resposta dos mesmos. Alguns comandos utilizam os mesmos botões ou combinações nada convenientes, tornando difícil a execução em certos momentos. No entanto, a resposta dos comandos é muito mais problemática, sendo difícil saber se ele não foi executado corretamente por causa o jogo ou se os erros partiram do jogador. Por exemplo, existe um comando que transforma sua personagem da forma de carro para a forma humanoide, com ela atacando logo em sequência. Apesar de ser um comando fácil de executar, precisei apertar os botões múltiplas vezes para confirmar a ação.

Esses problemas na responsividade dos comandos fazem com que, em uma hora, seja possível realizar combos relativamente complicados livremente e, em outra, seja uma experiência frustrante, não sendo possível entender de onde está partindo o erro. Apesar da complexidade embutida, os inimigos não são interessantes para incentivar o jogador a ser criativo, o jogo não explica nada bem suas próprias mecânicas, há problemas com a câmera, fases muito longas e repetitivas, e por aí vai. Outros jogos da Tamsoft têm seus problemas, mas são experiências consistentes, o que, infelizmente, não se aplica a Drive Girls.

Estranhamente, os comandos nas missões de corrida funcionam bem e essas são as melhores missões do jogo. Os comandos dos carros são bastante “soltos”, portanto é bem fácil realizar derrapagens e curvas fechadas em altas velocidades, dando a impressão de que um jogo de corrida arcade muito bom poderia ser construído em cima dessas mecânicas. No entanto, elas também demonstram um certo “amadorismo” no gênero corrida, com pistas longas demais e não muito divertidas.

Drive Girls também inclui um modo online e minha experiência com ele simplesmente não existiu. Os servidores estão completamente vazios, o que impede qualquer interação online. Alternativamente, ainda existe um modo para multiplayer local caso consiga reunir até 4 jogadores para realizar missões exclusivas desse modo.

Veredito

A Tamsoft tem experiência com jogos de ação, no entanto, Drive Girls precisava de muito mais polimento para se tornar um produto recomendável. Mesmo no catálogo da própria desenvolvedora existem títulos que valem mais seu investimento pessoal e financeiro.

Jogo analisado com código fornecido pela distribuidora.

45%