AnálisesDLCPS4

Rise of the Necromancer (Diablo III)

Análise

NOME: Diablo III
FABRICANTE: Blizzard Entertainment
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Ação / RPG
DISTRIBUIDORA: Blizzard Entertainment


LANÇAMENTOS
Não disponivel Não disponivel Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Não disponivel


Diablo III foi lançado em 2012 primeiramente no PC. Após cinco anos, era difícil acreditar que um conteúdo relevante fosse adicionado ao jogo. Porém, a Blizzard gosta de surpreender os fãs e trouxe o Necromante, justamente uma classe muito requisitada pelos jogadores.

Mas o que o Necromante é, afinal? E o que ele oferece aos jogadores, sejam eles novatos ou veteranos?

Resumidamente, o Necromante é uma espécie de feiticeiro que possui uma temática de morte. Ou seja, ele controla os mortos, invoca servos, revive inimigos mortos temporariamente ou usa seus corpos para habilidades defensivas ou ofensivas. Ele é uma "reimaginação" da mesma classe presente em Diablo II.

No início, o Necromante é bastante simples: cria espetos de ossos do chão e, logo em seguida, ao evoluir um pouco, aprende a arremessar uma lança em forma de osso. Conforme evolui, recebe acesso a uma foice. Esse começo parece ser decepcionante até você destravar a possibilidade de invocar um mago esqueleto. Depois, comandar esqueletos. Antes que se dê conta, você estará cercado de esqueletos ao seu redor enquanto joga. Em outras palavras, terá um pequeno exército de mortos ao seu dispor e é justamente isso que queríamos ver no Necromante.

Esses mortos invocados podem atacar, defender ou enfraquecer os inimigos. E isso é apenas a ponta do iceberg: é possível até mesmo sugar a vida dos inimigos ou simplesmente explodir os cadáveres expostos no jogo como se fossem minas terrestres. Não quer usar de forma ofensiva? Sem problema, consuma para obter essência, que é o equivalente à mana do Necromante.

Apesar de parecer desbalanceado, o Necromante acaba se enquadrando em qualquer outra classe do jogo. Usar todos esses recursos requer essência, que é gasta e só pode ser enchida combatendo normalmente.

O DLC, portanto, é bastante interessante e nostálgico para muitos jogadores. O verdadeiro problema está no preço e no conteúdo oferecido. O DLC custa, em seu lançamento, 45 reais e oferece apenas a classe: não há novidades para a campanha ou novos Atos, como ocorreu quando o Cruzado foi lançado com a expansão Reaper of Souls.

Além disso, o DLC foi lançado apenas para a geração atual: o PS3 e 360 ficaram de fora. Em contrapartida, há um pacote Diablo III: Eternal Collection disponível na PS Store (não há formato físico) que inclui o jogo e todas as expansões lançadas, inclusive o Necromante. É o pacote ideal para quem ainda não possui Diablo III.

Apesar de não termos novidades de história, há novos acessórios (a maioria específica para o Necromante, veja aqui tudo que foi adicionado), novos troféus da PSN a serem conquistados e um motivo para voltar a jogar Diablo III.

Vale ressaltar que, com o lançamento do Necromante, o jogo base recebeu várias novidades, como as Fendas de Desafio: explore novos arranjos criados pelos outros jogadores em uma masmorra fixa semanal. Porém, como não necessita do DLC do Necromante, não faz sentido discutir tal conteúdo nesta análise.

Veredito

O Necromante é uma classe bem-vinda a Diablo III. Além de ser bem feita e termos o fator nostalgia, é um motivo para você voltar a coletar itens e mais itens. O maior problema encontra-se no preço: 45 reais por apenas uma classe é caro demais.

DLC analisado com código fornecido pela Blizzard.

80%