AnálisesPS4

Bleed

Análise

NOME: Bleed
FABRICANTE: Bootdisk Revolution
PLATAFORMA: ps4
GENERO: Ação/Plataforma 2D
DISTRIBUIDORA: Digerati


LANÇAMENTOS
Não disponivel Não disponivel Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Nº de Jogadores: até 2

Troféus (inclusive Platina)

Espaço necessário: 80MB

Disponível Exclusivamente na PlayStation Store

Legendas em PT-BR: Sim

Dublagem em PT-BR: Não


Bleed foi lançado em dezembro de 2012 por meio do programa desenvolvimento de jogos indie da Microsoft. Posteriormente, foi lançado no Steam para plataformas Windows e OS X em julho de 2013 e recebeu um port para PS4 e ONE agora em julho de 2017. Bleed é um jogo da Bootdisk Revolution, o estúdio de um homem só, Ian Campbell, um desenvolvedor canadense.

A história de Bleed é relativamente simples. Ela se passa em futuro nem tão distante assim no qual a Terra viveu uma era de heróis, glorificados por tempo demais. Os poucos que restaram não são o que eram antes, vivem de sua fama do passado e se tornaram o que anteriormente combatiam. A tentativa de expor o que se tornaram esses "heróis" que faz Wryn sair em busca de se tornar uma verdadeira heroína.

Bleed é uma grata surpresa no estilo metroidvania, com vários elementos que englobam suas mecânicas e que dão uma personalidade singular ao título. O jogo bebe de várias fontes consagradas e faz muito bem o uso delas. Ele é todo jogado em um ambiente 2D ao estilo de Metroid, Mega-Man entre outros, mas o que o diferencia desses títulos e traz uma característica singular é uma mecânica "2 Stick Shooter", que é mais recente e muito comum em jogos atuais.

Além do "2 Stick Shooter", Bleed também usa uma mecânica de "Bullet Time", que é uma habilidade essencial em momentos críticos (quase todos). Com ela, o jogador precisa usar a barra para evitar tiros inimigos ou ajudar a acertar aquele inimigo que se movimenta rápido demais. A barra é usada e se recarrega rapidamente durante as partidas, tornando-se uma habilidade comum do jogo. Além dessas duas mecânicas, há ainda o pulo triplo, que também funciona como uma espécie de dash, tornando-se outro pilar do título.

Bleed conta com sete fases extremamente difíceis nos níveis mais altos. As fases não possuem itens de cura, o que torna a tarefa muito mais difícil já que é crucial tentar sofrer o menor dano possível até o próximo ponto de checkpoint. A única opção do jogador é comprar mais vida na loja do jogo, onde é possível comprar habilidades, desenvolver a barra de vida ou do "Bullet Time" do personagem, ou adquirir novas armas. Além do modo história, Bleed possui outros dois modos: o Arcade, que são as fases do modo história sem checkpoint, e o modo Desafio, que é a possibilidade de jogar contra até três chefes à sua escolha ao mesmo tempo.

Bleed conta com gráficos pixelados e sons simples das plataformas 8 Bits, sendo que toda essa simplicidade faz muito bem ao título, além de seu ótimo humor. Para se ter uma ideia, ao morrer várias vezes – e pode ter certeza de que isso será muito comum –, Wryn te pergunta se você não tem um irmão mais velho para tentar passar aquela fase, ou que ela procurará no código-fonte do jogo por cheats para tentar te ajudar a terminar determinada parte do jogo. É uma narrativa interessante em como ela se faz entender como uma pessoa dentro de outro universo.

Veredito

Bleed é um jogo extremamente desafiador que fará com que você arranque os cabelos no nível mais difícil. É um ótimo título nesse estilo, que pode ser jogado em dupla, como clássicos do passado. Possui um ar nostálgico de jogos do passado, além de uma jogabilidade interessante, com mecânicas consagradas que, usadas em conjunto, dão um toque singular ao título.

Jogo analisado com código fornecido pela Digerati.


 

80%